28 de fev de 2012

Alguém como você, capitulo VI Provocação!



Ele parecia que não queria responder, ele mantinha uma expressão gélida e ilegível.
- Eu... eu te amo de verdade, ela foi só um passa tempo, Joanni está jogando com você e você está caindo no jogo dela, eu a conheço como ninguém. – Ele falou com muita convicção
- Espero que isso seja verde, eu te amo e não quero te perder.
- Vou treinar com o time de futebol hoje a tarde, você quer vir assistir ao meu treino?
- Quero sim, que horas? – Eu não perderia um segundo sequer longe dele.
- O treino começa às três da tarde e vai ate as seis. Quer que eu te pegue em casa?
- Pode deixar que eu me viro e venho só mesmo. Mas agora tenho de ir para a sala por que a aula já vai começar, tchau! – Eu me despedi com um beijo e uma dor no coração
- Tchau! – Ele parecia tenso
Depois das duas ultimas aulas, fui para casa a Carla foi comigo já que seus pais estavam viajando naquela semana e ela ficaria lá em casa!
Nos conversamos e rimos muito, conversamos sobre tudo.
Então como eu disse a Mike que eu iria a seu treino resolvi chamar Carla para me acompanhar já que ele não terá tempo para mim enquanto jogava. Ela aceito, e então chamamos um taxi e fomos ate a escola.
Estávamos nos duas na arquibancada, que por sinal só havia nos duas, ate que aparecesse Joanni, e ela fez questão de se sentar logo ao meu lado.
- O que você está fazendo aqui? – Ela falou como se eu não pudesse assistir ao jogo do meu namorado.
- Assistindo ao treino do meu namorado, que por um acaso, fui convidada por ele, já outra pessoa não sei o que faz aqui!
- Calma coleguinha, eu sabia que você estaria aqui, ele sempre me convidou para assistir aos seus treinos. Mas só vim lhe avisar para tomar cuidado comigo, e ficar esperta, é não se esqueça de ir se despedindo de Mike, esqueci da pergunta maior, você sabe que Mike ama joga futebol, você agüentaria perde-lo para a bola?
Ela se levantou e nem me deu chance de responder, nem se quer fazer alguma pergunta.
Eu entendia claramente porque ela me mandava ter cuidado com ela, mas não entendia porque ela me mandará “ir me despedindo de Mike” nem mesmo se eu “agüentaria perde-lo para a bola?”. Depois disso eu nem tive mais cabeça par assistir ao jogo, quanto mais conversar com Carla. Fiquei ali estática, às vezes caiam algumas lagrimas de ódio, que Carla rapidamente as enxugava.
Foi para casa. Eu e Carla ficamos discutindo por horas o que Joanni havia me dito.
No dia seguinte, já na sala durante um exercício tentei arrancar algo dela.
- O que você quis me dizer com tudo aquilo que falou ontem? – Mesmo abalada tentei falar com autoridade.
- Se você não entendeu não será necessário que eu te explique, logo você vera o que eu queria te dizer! – Ela falava com tal frieza que me gelava o coração.
Dias se passaram e nada de diferente acontecerá, elem de eu conseguir marcar um dia em que minha mãe estivesse em casa para que eu lhe apresentasse Mike.
Eles se deram muito bem, riam muito, por vezes eu ate me sentia fora da conversa.
Em nossos momentos íntimos cada vez ficávamos mais e mais apaixonados. Eu já não poderia mais viver sem ele.
Numa segunda feira a tarde Mike me ligou.
- Você lembra que eu havia te falado de um teste de futebool que eu tinha prestado para um time grande em São Paulo durante as feria? – Ele falava com muita alegria.
- Sim, eu me lembro. Você sempre fala com muito orgulho que foi muito bem nesse teste e nem sabe porque não te chamaram ate hoje. – Eu não fazia idéia do que esta por vir.
- Pois então, eu fui aceito e tenho uma semana para estar la!
Agora algumas coisas que Joanni havia falado fizeram sentido, eu estava em choque!

Nenhum comentário: